Além da calmaria…

… é o significado da palavra etimologicamente latina tranquilidade: junção do prefixo trans (muito além) com o quies (calma, descanso). Havemos de convir: tranquilizar-se só se faz carne, manifesto, se um de seus tecidos for o esquecimento. Não à toa, é, em Nietzsche, a terceira metamorfose pela qual o Homem torna-se sobre-humano, ultrapassadas as fases de camelo e leão: “…É que a criança […]

Continue lendo

“Ilíada”, de Homero, pode ou deve ser lida pelo fragmentado homem contemporâneo?

Considerado o desenvolvimento histórico, diversos foram os saltos do conhecimento humano que o fizeram cada vez mais atomizado, dividido: na erupção do homo faber; na dicotomia do universalismo da sabedoria ocidental grega em jônica e eleática; na divisão das ciências durante a renascença; na necessidade de maior especialização durante a revolução industrial. É, pois, o conhecimento compartimentado pela sociologia, economia, […]

Continue lendo

O que acontece com a política?, por MOISÉS NAÍM

“Toda a política é local”. Essa afirmação do congressista norte-americano Tip O´Neill sintetiza o fato de que, com frequência, o que mais interessa aos eleitores é que os políticos aliviem seus problemas mais imediatos. De acordo com isso, os governantes que se concentram em grandes assuntos nacionais ou internacionais competem em desvantagem contra rivais que se ocupam dos problemas mais […]

Continue lendo

… de William Blake:

“Sem Contrários não há progresso. Atração e Repulsão, Razão e Energia. Amor e Ódio são necessários à existência Humana. Desses contrários saem o que os religiosos chamam Bem e Mal. O Bem é o passivo que obedece à Razão. O Mal é o ativo que vem da Energia. O Bem é o Céu. O Mal é o Inferno. Todas as […]

Continue lendo