Comércio: pode a arquitetura torná-lo mais seguro ante a prática do crime?

Diversas são as formas de aplicação dos princípios da Arquitetura na Prevenção do Delito (APD – para mais, acesse aqui) na melhoria da qualidade de vida do usuário, no contexto da segurança física e patrimonial. Das diversas estratégias possíveis, considere: Controlar o acesso: garantir barreiras que impeçam o acesso de pessoas desautorizadas a todos os pavimentos ou ambientes da edificação, […]

Continue lendo

O arquiteto e urbanista e o crime – é possível inibir o infrator da lei?

Todo profissional possui, no mínimo, matéria-prima sobre a qual se debruça para moldar sua obra de arte. Afora questões filosóficas, a do arquiteto é o espaço que, sob as diversas interferências, apresenta-se como ambiente acabado, seja ele fechado, interno, ou não. Tais interferências, neste sentido e de forma deliberada, influenciam comportamentos. Isto é historicamente sabido pelos mestres da arquitetura: da […]

Continue lendo

Estudo de caso: LOJA DE ROUPAS – parte 2

…continuação deste estudo de caso. 1 vigilância natural: Considerando-se a alta visibilidade do local (imagem ao lado), sem existência de obstáculos ou reentrâncias que poderiam ser utilizados pelos infratores da lei em uma situação de surpresa (no que tange às adjacências da edificação), acreditar-se-ia ser essa uma das estratégias atendidas, não fosse o fato de seu isolamento físico (conforme tratado […]

Continue lendo

Estudo de caso: LOJA DE ROUPAS – parte 1

Abaixo, seguem informações constantes nos autos apresentados junto ao Boletim de Ocorrência: “Natureza: Roubo à Estabelecimento Comercial; Data/Hora: 04/09/12, 14h15min; Estabelecimento: Loja de Roupas.. Histórico: “Vitimas são proprietários do estabelecimento comercial citado e relataram que foram surpreendidos por dois indivíduos desconhecidos e armados de revolveres, os quais mediante ameaça anunciaram o roubo subtraindo do local, vários relógios de pulso, dois […]

Continue lendo

Segurança Patrimonial: projetar prevenindo o medo

Zygmunt Bauman, o sociólogo que liquefez nossa contemporaneidade, apregoa que, graças ao “medo derivado” (conceito no qual sustenta que interiorizamos temores, inseguranças e vulnerabilidades que, muitas vezes, não são reais, por força  da nossa sociedade; o medo que estaria à espreita aguardando o momento de nos atacar, obrigando-nos a um estado permanente de vigilância e, no limite, fonte da depressão […]

Continue lendo

Arquitetura e Urbanismo na Prevenção do Delito (AUPD)

CPTED é um “conjunto de ações e medidas com o objetivo de diminuir a probabilidade de ocorrência de delitos e aumentar a sensação de segurança, através de intervenções no desenho urbano”. Justamente nessa perspectiva é que o crime passa a ser considerado como fruto da relação com as diversas e múltiplas atividades nas ruas e no bairro, sendo seu foco, […]

Continue lendo